#MemóriaBAND: Primeira novela da Bandeirantes, “Os Miseráveis” (1967), contava com Sílvio de Abreu como ator #TBT

Sinopse

A história se inicia em plena Revolução Francesa do século XIX. Jean Valjean rouba um pão para alimentar a irmã mais nova e acaba sendo preso por isso. Solto, muitos anos depois, ele tenta recomeçar sua vida e se redimir. Torna-se um homem rico, mas sempre vivendo á sombra de seu passado de “criminoso”.

Ao mesmo tempo em que tenta fugir da perseguição do inspetor Javert, Jean conhece a pobre menina Cosette. Tratada como escrava, ele a leva para sua casa para criá-la como filha.

Elenco

LEONARDO VILLAR – Jean Valijean
MARIA ISABEL DE LIZANDRA – Cosette
GERALDO DEL REY – Marius
SADI CABRAL – Monsenhor Benvindo
CACILDA LANUZA
RAUL CORTEZ
RUBENS CORREA
LAURA CARDOSO
SERAFIM GONZALEZ
LEINA KRESPI
IVONE HOFFMAN
OTÁVIO AUGUSTO
ESMERALDA BARROS
CHICO DE ASSIS
SÍLVIO DE ABREU
ADRIANO STUART
FELIPE CARONE – Fauchelevent

Curiosidades

  • A primeira novela da TV Bandeirantes inovou pela mudança da duração dos capítulos. Ao contrário do comum das novelas naquela época, com capítulos de meia hora, Os Miseráveis tinha capítulos de 45 minutos, padrão adotado até hoje.
  • A adaptação era tão diferente do livro de Victor Hugo que o autor, Walther Negrão, costumava brincar: “Esta história é minha e de Victor Hugo!
  • Anteriormente, a Tupi tinha apresentado a mesma história em dois capítulos por semana, com Débora Duarte como a menina Cosette.
  • Os futuros autores de novelas Sílvio de Abreu e Chico de Assis participaram desta produção como atores.
  • Era exibida na faixa horária das 19h20.
  • A novela estreou no dia 19 de maio de 1967 e se encerrou no dia 25 de agosto de 1967.
  • A produção teve um total de 71 capítulos.

Confira abaixo uma publicação em um jornal em 1967 sobre a programação da recém-inaugurada TV Bandeirantes, canal 13 de São Paulo, com uma breve citação da novela “Os Miseráveis”:

 

  • Infelizmente não existem mais registros da novela na internet. E de acordo com alguns rumores, a própria Rede Bandeirantes de Televisão não possui muitos arquivos e registros desta produção, que teriam sido perdidos no incêndio da sede da emissora no bairro do Morumbi, em São Paulo, no ano de 1969.
  • A imagem principal da publicação utilizada como logo da novela é meramente ilustrativa.

Fontes: teledramaturgia.com.br | novelasdobrasi.com

Facebook Comments