#HoraDaVerdade: Onde estão agora os que diziam que a Band rompeu com a GfK apenas por corte de gastos?

Em agosto de 2015 a Rede Bandeirantes de Televisão tomou a decisão de rescindir contrato com a GFK,  empresa alemã de medição de audiência que, em tese, estava se preparando há dois anos, para a sua entrada no mercado nacional.

Na época, a Band alegou que o rompimento era motivado pelo não cumprimento dos prazos estabelecidos para o início da operação e a impossibilidade de atingir o número mínimo de residências proposto. Foram três mudanças de datas até aquele momento (do rompimento da Band) para o início das pesquisas, incluindo o novo prazo que era até o final de outubro do mesmo ano.

Naquele momento, as outras emissoras sócias na empreitada e, inclusive até um dos donos de uma dessas redes de televisão, chegaram a comentar que a Band estaria abandonando a parceria para a implantação da empresa de medição de audiência, porque estava enfrentando um período de contenção de despesas.

Alguns ignorantes na internet também ridicularizavam a decisão do canal do Morumbi de abandonar o grupo, comentando que a emissora estava em “processo de falência”, outros disseram que o motivo era o de que a Band era “escrava da TV Globo”, e fazia tudo o que ela mandava, haja vista que a Rede Globo em momento algum se interessou em assinar contrato com o instituto alemão de pesquisa.

Era fato que, em 2015, a Band, assim como as outras emissoras, estavam sendo afetadas pela crise econômica do país, em suas devidas proporções, porém, o tradicional comportamento do Grupo Bandeirantes, em relação a empreitadas desse tipo, sempre foi o de atuar de modo autônomo e, como exemplo disso, podemos citar a programadora “Newco”, do Grupo Bandeirantes, que negocia com as operadoras de TV por assinatura, os pacotes de canais fechados como BandNews, Arte 1, Sex Prive´ e BandSports. Essa empreitada bem sucedida garantiu que a Bandeirantes continuasse distante de uma provável parceria mal sucedida com a programadora SIMBA, que negocia com as operadoras de TV fechada os canais abertos das redes SBT, Record TV e RedeTV!. Mas outro motivo que pode ter levado a Band a não continuar tendo paciência com esse instituto alemão, pode ter sido uma breve e simples pesquisa na internet, para se levantar informações a respeito de problemas deste mesmo instituto com emissoras de televisão de países da Europa, como Portugal, por exemplo.

Agora, voltando para 2017, percebemos que a Band estava certa de rescindir contrato com a GFK, mesmo que o rompimento tenha ocorrido em virtude de atrasos da GFK ou por corte de despesas da emissora do Morumbi com mais um instituto para medir sua audiência. De qualquer maneira, nos testes realizados pela GFK, os números de audiência não eram muito diferentes dos aferimentos do Ibope. Mas, além disso, nesta quinta-feira, dia 21 de setembro de 2017, percebemos a corroboração da decisão de rescisão da Band com a GFK, através do anúncio de encerramento das operações da empresa alemã, além de suas demissões de mais de 140 funcionários.

A operação de medição de audiência da GfK no Brasil foi oficialmente encerrada nesta quinta-feira (21), em nota divulgada à imprensa. O anúncio acontece após a demissão de 149 funcionários desse segmento, que foram chamados pelos seus chefes e encaminhados para exames demissionais.

Os demitidos representam quase todo o corpo de profissionais da divisão de medição de audiência, que já não funciona mais. A GfK confirma esse número.

As emissoras que optaram por continuar esperando o início das operações da GfK, agora estão ingressando com ações exigindo indenização por não cumprimento de contrato por parte da empresa alemã.

Tudo isso apenas nos faz pensar que devemos observar mais atentamente as verdadeiras razões que levam uma emissora como a Band a tomar determinadas decisões de rescisão de contratos, afinal, ao que parece, nem tudo é realmente como alguns sites, colunistas, jornalistas, “mídia especializada”, redes de televisão e seus respectivos donos dizem para a mídia e para o grande público.

Fontes: Notícias da TV

Facebook Comments